Pular para o conteúdo principal

A tal da musiquinha...

Acreditam os pseudo-espíritas (os que se assumem "espíritas", mas seguem Chico Xavier, FEB, obras psicografadas e outras bobagens que contaminaram a doutrina no Brasil) que a música é uma forma de atrair boas vibrações e espíritos "elevados". 

Mas acreditam os seguidores de "São" Chico que não pode ser "qualquer música", mas músicas "de qualidade elevada e que pudessem estimular a evolução espiritual".

Tá. Mas aí se entra em um centro "espírita" e se percebe que a tal "boa música" na passa de musiquinha românticas meio alegres, mal cantadas com o acompanhamento em geral de um violão. Pode ser versões de sucessos piegas ou pode ser composições próprias, sofríveis e mal escritas, cuja unica qualidade é apenas falar sobre lições óbvias de caridade paliativa, sentimentalismo, ou louvor ao Gigante Invisível conhecido como"Deus". Músicas que chegam a ser irritantes de tão chatas. Só os beatos "espíritas" gostam de ouvi-las. 

Para piorar, os defensores das musiquetinhas conhecidas como "MPB Astral" e "Arte Moral" ainda querem se comparar aos compositores eruditos, como se o gospel malfadado que os "espíritas" fazem fosse do mesmo nível das grandes composições que marcaram a musica erudita durante séculos. É querer igualar lixo com luxo.

E detalhe: se essas musiquinhas malfeitas servem para atrair "somente espíritos elevados", porque atraem em geral espíritos de qualidade inferior, mesmo não sendo maus? Se esquecem os "espíritas"que esta musiquinha romântica, beeem ruim, que é tocada nos centros, nunca irá atrair espíritos superiores, que preferem músicas muito mais elaboradas? 

Obviamente, os espíritos de elevação alta certamente vão preferir ouvir "pauleiras" de Jimi Hendrix e Led Zeppelin, que foram elaboradas com perfeição, com arranjos bem feitos, melodias criativas e cujas letras que nos trazem muito mais lições de vida do que as monotemáticas canções sobre "família, amor e esperança", copiadas de católicos e evangélicos, que caracterizam a música de péssima qualidade feita pelos devotos do católico praticante, mas enrustido Chico Xavier, responsável por transformar o Espiritismo em uma gororoba.

E sinceramente, igualar essas ruindades com os compositores eruditos é sinal de ignorância, de arrogância e falta de senso artístico. É preciso muita cara de pau para enganar os "espíritas" e geral de que essa cantoria ruim é a musica "oficial" dos "planos superiores". 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

Ódio anti-petista de Robson Pinheiro pode ter orientação de espíritos de senhores de engenho e adeptos do Fascismo

O "Espiritismo" sempre foi conhecido como a religião da razão e do amor. Mas Robson Pinheiro que mudar isso. Para ele o "Espiritismo" passa a ser a doutrina da barbárie e do ódio. Incapaz de negociar com aqueles que não se afinam com suas convicções políticas elitistas, Pinheiro se une aos neo-pentecostais e derrama a sua gosmenta baba de raiva contra a esquerda, ignorando os verdadeiros responsáveis pela crise, que é mundial e desprezando os bastidores do poder.
Robson é um autêntico analfabeto político, pois dá sinais de que não sabe das complexas relações de poder, num perfeito exemplo de pedantismo político. E de acordo com a lei de afinidade (ignorada pelos "espíritas" brasileiros), atrai espíritos de senhores de engenho e de simpatizantes do Fascismo. Pinheiro psicografa um livro "político" demonstrando escancarado desconhecimento sobre o assunto. Ignora fatos que comprovam que a verdadeira quadrilha é justamente os políticos que ele apoi…