Pular para o conteúdo principal

Bezerra de Menezes, personagem de ficção?

Infelizmente, o Bezerra de Menezes que os pseudo-espíritas (integrantes da Igreja Espírita que se formou no Brasil, graças a divulgação feita pela FEB e mais tarde por Chico Xavier) conhecem é falso, inventado. Não há uma biografia séria dedicada ao político roustainguista, pioneiro na deturpação do Espiritismo. Todas as biografias disponíveis são mentirosas e nos extremos chegam a ser bem fantasiosas, praticamente surreais.

Nas biografias oficiais, Bezerra é considerado um espírito puro de bondade extrema. As biografias mais delirantes chegam a atribuir superpoderes ao político. Mas em todas, há a preocupação de esconder os erros cometidos por aquele que desprezou Allan Kardec (embora fosse erroneamente apelidado de "Kardec brasileiro", sem iniciar sequer um mínimo trabalho de pesquisa similar ao feito pelo professor lionês), considerando-o desatualizado. Bezerra preferiu Jean Baptiste Routaing alegando ser este mais "moderno" que Kardec. 

A preferência de Bezerra por Roustaing é suspeita. Católico que acreditava e reencarnação, Bezerra não se sentia confortável em se livrar da zona de conforto de suas crenças pessoais e encontrou em Jean Baptiste Roustaing uma forma de a aceitar a ideia de reencarnação ao mesmo tempo que continuava  acreditando em santos e dogmas de sua igrejinha querida. Roustaing era católico e sua principal obra Os Quatro Evangelhos serviu para inserir dogmas católicos, empastelando a doutrina.

Nascia o Espiritismo Cristão, ou Espiritolicismo, uma espécie de catolicismo moderado que defende a ideia de reencarnação, vida pós morte e comunicação com espíritos. Os católicos que acreditam em reencarnação se migraram em massa para a nova igreja. Surge a FEB (Federação - que se diz - Espírita Brasileira), que finge falar em nome de Kardec, mas se torna a embasadora oficial desse Catolicismo enrustido e meio estranho baseado nas ideias de Roustaing,

E Bezerra foi um dos primeiros grandes sacerdotes dessa então jovem igreja, já que foi também um dos primeiros presidentes da instituição. Logo se apressou a incluir Roustaing no estatuto (lei básica) da federação, para reforçar a decisão de que lado ele e seus sócios estavam.

Informações de fontes seguras vindas de descendentes de quem conviveu com Bezerra mostram que o mito construído em torno do político é uma farsa. Bezerra tinha pavio curto, gostava de impor sua opinião e só fazia caridade em troca de favores, já que era um político como os outros. Foi apenas simpatizante da abolição, não atuando de maneira significativa em prol dela. 

E uma perguntinha para completar a desmitificação. Segundo um mito, era pai de um filho sob possessão espiritual. "Conhecedor" daquilo que entendia como "Espiritismo", como é que deixou seu próprio filho evoluir sua obsessão a esse perigoso nível? Estranho o "maior espírita" da época deixar seu próprio filho morrer por causa de um espírito. Se bem que isso é mito, pois a estória está mal contada. Espíritos não são tão poderosos assim, em ambientes de suposto controle doutrinário.

Mesmo depois de morrer, Bezerra continuou sendo envolvido em muita atitude anti-doutrinária. Supostamente sem a necessidade de reencarnar (???!!!), recebeu de Nossa Senhora (um ser estranho à Doutrina Espírita, na verdade mito exclusivo do Catolicismo) a permissão de "continuar na Terra (???!!!) para continuar com sua "missão de caridade" (???!!!). Puro conto de fadas.

Para piorar, há apresentações de suposta incorporação onde Bezerra, supostamente um espírito de "máxima evolução" aparece com voz abafada e mancando, algo incoerente ao prestígio sugerido pela mitologia construída em torno do político roustanguista.

Houve também uma mensagem supostamente atribuída a ele dizendo que "se arrependia do roustainguismo e se converteu ao reconhecimento de Kardec". da boca para ora, não é, pois o Espiritismo Cristão nunca seguiu Kardec e nem vai seguir, pois se seguisse de fato, líderes, mitos e dogmas cairão, fiéis abandonarão os centros e a FEB e outras instituições deixarão de receber seu polpudo dinheirinho, cujo 90% não vai para a caridade como quase todos pensam.

Bezerra começou esta farsa toda que instituiu a fé cega no Espiritismo, travando a evolução intelectual de seus seguidores. Mais de 100 anos se passaram e a "maravilhosa" doutrina se mostrou e se mostra cada vez mais incapaz de melhorar a sociedade como um todo, agindo como as outras igrejas, sobretudo as neo-pentecostais, explorando a fé cega para angariar prestígio, poder e dinheiro. 

O "imaculado" Bezerra de Menezes foi o grande responsável por inaugurar esta farsa e deveria ser desmascarado com urgência, para o bem da compreensão doutrinária. 

Ainda estamos esperamos uma biografia realista que pudesse mostrar a verdadeira face suja do velhinho "bonzinho"assemelhado visualmente com o conhecido Papai Noel da marca de refrigerantes. E tão real quanto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

Ódio anti-petista de Robson Pinheiro pode ter orientação de espíritos de senhores de engenho e adeptos do Fascismo

O "Espiritismo" sempre foi conhecido como a religião da razão e do amor. Mas Robson Pinheiro que mudar isso. Para ele o "Espiritismo" passa a ser a doutrina da barbárie e do ódio. Incapaz de negociar com aqueles que não se afinam com suas convicções políticas elitistas, Pinheiro se une aos neo-pentecostais e derrama a sua gosmenta baba de raiva contra a esquerda, ignorando os verdadeiros responsáveis pela crise, que é mundial e desprezando os bastidores do poder.
Robson é um autêntico analfabeto político, pois dá sinais de que não sabe das complexas relações de poder, num perfeito exemplo de pedantismo político. E de acordo com a lei de afinidade (ignorada pelos "espíritas" brasileiros), atrai espíritos de senhores de engenho e de simpatizantes do Fascismo. Pinheiro psicografa um livro "político" demonstrando escancarado desconhecimento sobre o assunto. Ignora fatos que comprovam que a verdadeira quadrilha é justamente os políticos que ele apoi…