Pular para o conteúdo principal

Situação atual do país desmascara definitivamente "Espiritismo" brasileiro

Agora ficou complicado continuar a mentira. O "Espiritismo" brasileiro, farsa apoiada na ideologia de Jean Baptiste Roustaing e que vive bajulando Allan Kardec sem seguir uma só vírgula da ideologia deste, é finalmente desmascarado diante da realidade em que se encontra o país.

O "Espiritismo" brasileiro acaba de se confirmar como mera seita igrejeira de base católica que pegou do Espiritismo original apenas a ideia da pluralidade das existências, ponto que já deixou de ser prioridade na seita, hoje focada no moralismo mais retrógrado, herdado do Catolicismo medieval, que nem os católicos de hoje querem saber.

Metido a intelectual, o "Espiritismo" brasileiro assume uma postura inerte diante do caos que se instala no país. Nenhuma liderança "espírita" manifestou sua preocupação com a eliminação de direitos básicos que ameaça a população brasileira. nenhuma delas se preocupou em fazer reuniões extraordinárias para propor de maneira racional, soluções para impedir os avanços excludentes do governo de Temer.

Ao invés disso, resolvem aumentar a publicação de textos sado-masoquistas que pedem que a população aceite o sofrimento e se limite a rezar, numa clara contradição com a fama de uma doutrina que se diz progressista, racional e altruísta. Nada desses três aspectos se vê na prática em tudo que acontece em nome do "Espiritismo".

O que se pode concluir sobre as lideranças "espíritas", infelizmente divinizadas pelos seus admiradores é que: ou elas são negligentes, ou são sádicas mesmo. De qualquer forma não agem de acordo com a codificação. Apunhalam Kardec pelas costas e longe do público para por em prática um igrejismo retrógrado que só serve mesmo para enganar fiéis e mantê-los na mais absoluta inércia intelectual.

Mas fico feliz com isso. O "Espiritismo" brasileiro, que nunca foi legítimo, foi finalmente desmascarado. Suas lideranças, tidas como "espíritos de evolução máxima" não passam de uns farsantes tão mentirosos quanto essa direita que está aí. Estão muito mais preocupados em agradar ricaços do que lutar pelo bem estar dos mais carentes, estes limitados a uma ajuda paliativa que nunca consegue tirá-los da condição humilhante em que se encontram.

Com isso, o "Espiritismo" brasileiro inicia sua trajetória rumo a decadência, ao menos que a ignorância domine em nosso país e muitos trouxas queiram se enganar com o palavrório tosco e piegas sobre coisas abstratas que não conseguem melhorar a realidade de pessoa nenhuma, aderindo mais a essa seita alienada que finge ser a mais progressista de todas as religiões. 

Já para quem não gosta de ser enganado, resta cair fora desta seita igrejeira que finge ser "Doutrina Espírita" e prestar mais atenção na realidade, utilizando a verdadeira racionalidade para propor soluções reais e definitivas para melhorar a sociedade como um todo para que ninguém mais seja dependente de ajudas paliativas que privam os mais carentes de dignidade, colocando esmolas, roupas usadas e comida mal feita no lugar de uma vida honrada com todas as necessidades satisfeitas.

Definitivamente o "Espiritismo" brasileiro vai morrer. E que não se atreva a reencarnar. Estamos cansados de sermos enganados por suas lideranças alucinadas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

O juízo de valor que derrubou Divaldo Franco e Chico Xavier

"Não julgueis para não serdes julgados", dizia o ensinamento de Jesus. Pegando carona, o anti-médium mineiro Francisco Cândido Xavier criou um arremedo da mesma ideia: "Não julgueis quem quer que fosse". Mas desobedeceu o que ele mesmo disse.

Em 1966, o pior julgamento de valor que se pode dar contra multidões humildes foi dado por Chico Xavier. No livro Cartas e Crônicas, Xavier acusou de terem sido "romanos sanguinários" os pobres cidadãos que, de várias partes do Grande Rio, foram assistir alegremente um espetáculo circense em Niterói, em dezembro de 1961, e foram vítimas de um incêndio criminoso.
O agravante da infundada acusação - feita sem provas documentais, de maneira generalizada, sem estudo da Ciência Espírita e preocupada com suposta encarnação longínqua e superada - é que Chico Xavier, para se livrar de culpa, botou a responsabilidade no pretenso autor espiritual, Humberto de Campos, muito mal disfarçado pelo codinome Irmão X.
Só neste episód…