Pular para o conteúdo principal

Paralelos entre o Fundamentalismo Islâmico e o "Espiritismo" brasileiro

Sabemos que esta postagem irá irritar os dois grupos e ainda mais os "bondosos" "espíritas" seguidores de Chico Xavier. mas analisando friamente, encontramos alguns paralelos entre as duas seitas que possuem o desejo de dominar o mundo, cada uma a seu modo, desprezando outras ideologias. Ambas entenderam muito mal as doutrinas que as originaram, preferindo lançar mão de interpretações deturpadas, mas que são mais cômodas.

É uma lista feita com base nos principais pontos das duas seitas e mostra em ambos os casos, que a religiosidade fanática nunca deve ser aplicada à realidade cotidiana, merecendo ficar muito bem trancafiada dentro das mesquitas e centros-"espíritas". Vamos a lista. Mas não nos matem.

1. São baseadas em livros cheios de lendas:
Enquanto o fundamentalismo Islâmico se baseia no Alcorão, os "espíritas" se baseiam nas obras assinadas por Chico Xavier, principalmente Nosso Lar e Brasil, Coração do Mundo. Vivem bajulando Allan Kardec, mas ignoram a sua teoria e suas recomendações.

2. Acreditam em um Deus único e implacável:
Ambas acreditam em um Deus único que recompensa os capazes e pune os que erram. Para os fundamentalistas islâmicos, ele se chama Alá. Para os "espíritas" ele ainda é humanizado, mas não possui corpo, se assemelhando a um homem desencarnado. Em ambos os casos, Deus escolhe quem ele quer que se dê bem ou se ferre e exige cumprimento rigoroso de "suas leis".

3. Seguem um profeta e se revoltam com ódio ao vê-lo sendo questionado:
Ambas as seitas seguem um profeta. Para os F.I., Maomé, para os "espíritas" Chico Xavier. Ambos são consideradas as maiores divindades de suas seitas após Deus e devem ser encaradas como as religiões os caracterizam. Qualquer tipo de questionamento gera reação odiosa nos admiradores de cada profeta, com reações mais violentas nos F.I.s. Os de Xavier, apesar de odiosos, preferem rogar pragas do que praticar violência. Outras lideranças de ambas as seitas costumam ser veneradas com extremo fervor, tratadas como divindades vivas.

4. Criminalizam o ateísmo:
Ambas as religiões oferecem penas severas a quem se assumir ateu. para ambas, Deus é real, não precisa de evidências (??!!!) e negá-lo é sinal de rebeldia reprovável que merece os piores castigos. 

5. Defendem o Machismo:
Embora os "espíritas"não saibam disso (eles nem leem integralmente os livros de Xavier), há em várias obras assinadas pelo médium em que Emmanuel, o "mentor da doutrina", menções que sugerem explicitamente o machismo do padre espiritual que afirmava, entre outras as coisas, que a mulher era feita para o lar. Os fundamentalistas negam muitas liberdades às mulheres, tratadas como animais.

6. Afirmam que a sua religião será a única no planeta:
Ambas são bem duras ao defender suas próprias seitas, desprezando a diversidade de crença. Narram inclusive episódios onde povos de outras crenças serão eliminados da Terra. Para quem duvida no caso dos "espíritas" veja a suposta profecia de Xavier em que sugere que os povos onde o ateísmo e seitas não cristãs dominam, serão eliminados.

7. Em cada uma das duas, há um povo privilegiado, que sobreviverá após o "juízo final":
Para os fundamentalistas islâmicos, o povo escolhido é o palestino, no Oriente Médio. Para os "espíritas" são os brasileiros. Para as duas seitas, eles recebem regalias de Deus e sobreviverão após o juízo final, quando finalmente liderarão a Terra.

8. O paraíso é cheio de prazeres mundanos:
O mundo espiritual nas duas seitas é bem material. No dos fundamentalistas islâmicos, há palácios e ate mesmo um harém a disposição dos recém-chegados. Para os "espíritas"o paraíso é chamado de "colônia" e possui casas, praças, transportes e imensos hospitais que se parecem com shopping centers. Em ambos há a satisfação de prazeres materiais.

9. Querem interferir na realidade a todo custo:
Insistentes de seu papel na "condução da humanidade" ambas as seitas querem interferir na realidade, impondo costumes e atitudes, além de rituais sob o pretexto de agradar a Deus e permitir uma evolução na vida material de seus seguidores.

10. Possuem código moral retrógrado:
Ambas possuem código moral retrógrado, com base em seitas milenares, que tem se mostrado completamente ineficaz na evolução espiritual de seus seguidores. Ambos desprezam o intelecto e elegem a fé (credulidade) como única fonte salutar de conhecimento.

OBS: Se os "espíritas" se revoltarem com esta postagem, estarão confirmando o seu fundamentalismo religioso. Quem não é fanático, admite erros e os corrige, ao invés de ficar xingando quem critica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

Ódio anti-petista de Robson Pinheiro pode ter orientação de espíritos de senhores de engenho e adeptos do Fascismo

O "Espiritismo" sempre foi conhecido como a religião da razão e do amor. Mas Robson Pinheiro que mudar isso. Para ele o "Espiritismo" passa a ser a doutrina da barbárie e do ódio. Incapaz de negociar com aqueles que não se afinam com suas convicções políticas elitistas, Pinheiro se une aos neo-pentecostais e derrama a sua gosmenta baba de raiva contra a esquerda, ignorando os verdadeiros responsáveis pela crise, que é mundial e desprezando os bastidores do poder.
Robson é um autêntico analfabeto político, pois dá sinais de que não sabe das complexas relações de poder, num perfeito exemplo de pedantismo político. E de acordo com a lei de afinidade (ignorada pelos "espíritas" brasileiros), atrai espíritos de senhores de engenho e de simpatizantes do Fascismo. Pinheiro psicografa um livro "político" demonstrando escancarado desconhecimento sobre o assunto. Ignora fatos que comprovam que a verdadeira quadrilha é justamente os políticos que ele apoi…