Pular para o conteúdo principal

Onda de ódio comprova fracasso do "Espiritismo" brasileiro

Os seres humanos aprenderam a não se amar. Normalmente se usam, se tratam como objeto, se unem através de interesses e mantém contato apenas para trocar favores. Humanos aprenderam a amar objetos e utilizar seres humanos. E isso tem aumentado cada vez mais, resultando não somente numa onda de desprezo e mesquinhez interesseira como também na onda de ódio contra quem não compartilha dos mesmos gostos e convicções.

No século XIX um intelectual francês decidiu fundar uma ideologia revolucionária que estimularia o equilíbrio entre o amor e a racionalidade e a união destes em prol do benefício da coletividade. Esse intelectual se chamava Denizard "Allan Kardec" Rivail e a ideologia, o Espiritismo.

Mas ao chegar no Brasil, ele veio totalmente deturpada, transformada numa seita de fé cega e dogmas absurdos. Não estimulou nem a racionalidade, nem a sensibilidade e muito menos o verdadeiro altruísmo. O "Espiritismo" brasileiro acabou travando a evolução espiritual de seus seguidores a admiradores, transformando-os em um rebanho de ovelhas irracionais que obedecem lideranças e nada fazem em benefício da coletividade.

E hoje, o século que deveria ser do avanço, da sensatez, estamos nos preparando para viver a versão brasileira e tecnológica da pior fase da humanidade,a Era Medieval. Estamos nos afastando cada vez mais uns dos outros e encontrando a oportunidade, não temos os escrúpulos de prejudicar a vida alheia para preservar nossos equivocados interesses e convicções.

As lideranças "espíritas" demonstraram sua total incompetência em liderar a humanidade, atraindo para si uma gigantesca dívida que os perseguirá por reencarnações.  Foram no minimo negligentes com a responsabilidade com que se comprometeram e o resultado está aí.

O "Espiritismo" brasileiro ficou preso na ilusão igrejeira e na pieguice comodista, realizando no máximo uma forma de caridade que nunca foi alem do paliativo. Orgulhosos, suas lideranças eram premiadas, consagradas e até canonizadas pela caridade que nunca fizeram. 

Evidências provam que se realmente tivessem feito o que era recomendado pela doutrina, líderes como Divaldo Franco e Chico Xavier evitariam essa onda triste de mesquinhez, desprezo e ódio que se presencia atualmente. Essas lideranças "divinizadas" foram totalmente irresponsáveis e jogaram no lixo a oportunidade de fazer com que a humanidade evoluísse, preferindo ser adorados envaidecidamente pelo que nunca fizeram de forma eficiente.

A versão deturpada da doutrina, que ignorou solenemente as lições de Kardec, o "Espiritismo" brasileiro segue fingindo ser a "filosofia do futuro" pregando o atraso, a tola pieguice cristã, a caridade apenas paliativa e a submissão a políticos e empresários de índole mais do que duvidosa. Essa irresponsabilidade agora tem a oportunidade de acareação com as suas consequências, uma humanidade ignorante, odiosa e que vive de proteger patrimônios e tratar pessoas como objetos de uso ou desuso. 

O que significa que a doutrina teve o seu fracasso retumbante. Um fracasso de proporções gigantescas que serviu para afundar a humanidade no lodo das trevas do desprezo e da mesquinhez. 

O "Espiritismo" brasileiro precisa ser descartado. FEB, Bezerra, Chico, Divaldo e similares merecem a lixeira historiográfica. É preciso começar tudo de novo, se necessário com a volta das mesas girantes. É mais que preciso retomarmos a racionalidade kardeciana e estimular a racionalidade somada a sensibilidade que farão com que as pessoas voltem a se respeitar e ponham suas opiniões em discussões sadias para que a mais sensata possa prevalecer.

O "Espiritismo" brasileiro deve ser urgentemente descartado, pois fracassou severamente na sua missão de educar a humanidade. Não precisamos de religiosidade, precisamos de educação racional. Um povo que pensa mais, ama mais e aprende a respeitar os outros e a resolver problemas. 

O "evoluído" "Espiritismo" brasileiro foi o maior fracasso que tivemos na sociedade brasileira. o seu desmonte é necessário para que combatamos a decadência inevitável em que se enfia o Brasil. Caso não descartemos as deturpações "espíritas" poderemos ficar presos na areia movediça do retrocesso cristão, a procurar inutilmente 2000 anos atrás soluções para os dias de hoje. Para que vivamos o futuro enclausurados em um passado que nunca termina. Para o mal de todos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

Ódio anti-petista de Robson Pinheiro pode ter orientação de espíritos de senhores de engenho e adeptos do Fascismo

O "Espiritismo" sempre foi conhecido como a religião da razão e do amor. Mas Robson Pinheiro que mudar isso. Para ele o "Espiritismo" passa a ser a doutrina da barbárie e do ódio. Incapaz de negociar com aqueles que não se afinam com suas convicções políticas elitistas, Pinheiro se une aos neo-pentecostais e derrama a sua gosmenta baba de raiva contra a esquerda, ignorando os verdadeiros responsáveis pela crise, que é mundial e desprezando os bastidores do poder.
Robson é um autêntico analfabeto político, pois dá sinais de que não sabe das complexas relações de poder, num perfeito exemplo de pedantismo político. E de acordo com a lei de afinidade (ignorada pelos "espíritas" brasileiros), atrai espíritos de senhores de engenho e de simpatizantes do Fascismo. Pinheiro psicografa um livro "político" demonstrando escancarado desconhecimento sobre o assunto. Ignora fatos que comprovam que a verdadeira quadrilha é justamente os políticos que ele apoi…