Pular para o conteúdo principal

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 

Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.

O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro age como uma igreja irracional e muitos de seus dogmas não tem pé nem cabeça de tão absurdos e impossíveis que são.

Essa elite, que finge ser caridosa mas defende que a caridade nunca deve ultrapassar os limites da sopa aguada e do agasalho rasgado, tem agora o seu porta voz: Robson Pinheiro. Com o lançamento do calunioso O Partido, Pinheiro, que aparece vestido como uma caricatura de Che Guevara (com claras intenções de ridicularizar as ideias de esquerda), leva o "Espiritismo" brasileiro a se unir ao coro odioso anti-esquerda, anti-humanista e pró-capitalista, rompendo de uma vez por todas com a proposta que diz que "fora da caridade não há salvação". Bem estar só para empresários e empresas. Os pobres agora que se virem para ter sua sopa aguada e seu agasalho rasgado.

RICO FALANDO EM NOME DOS RICOS

É o mesmo Robson Pinheiro que escreveu um livro supostamente ditado pelo espírito da farsante Madre Teresa de Calcutá, aquele que deixava os pobre morrerem em uma vala enquanto viajava em aviões enormes e hospedar em hotéis de luxo. Robson Pinheiro é rico e fala em nome dos ricos. 

Seus livros vendem bastante e seus seguidores já o consideram a nova liderança "espírita" a surgir depois de Divaldo Franco, com idade bastante elevada. Não é estranho um novo médium-estrela que, embora não seja vinculado a FEB, compartilha plenamente de sua ideologia deturpadora que transformou o que deveria ser uma vivência em uma igreja cristã aos moldes de um Catolicismo mais retrógrado.

Esquece Pinheiro que a data de 13 de março, glorificada por ele e pelo deturpador jornal carioca Correio "Espírita" como "marco da regeneração" e não sabe que os protestos anti-PT na citada data foram uma farsa. Os próprios organizadores do movimento admitiram que muita gente foi paga para ir e que os membros da elite que foram aos protestos na data estavam mais interessados em derrubar Dilma do que combater a corrupção. Hoje com um governo onde 100% dos membros são confirmadamente corruptos, nenhum direitista saiu as ruas para pedir a saída de Temer ou de algum dos membros de seu governo provisório, mas que age como se fosse permanente. Hipócritas!

Robson Pinheiro é também um hipócrita, como toda a liderança "espírita". Seu mal caratismo agora é evidente com um livro que pretende difamar e caluniar um governo que errou sim, que teve integrantes corruptos (devidamente presos) e que foi ingênuo em se aliar com um partido que na verdade se infiltrava para derrubá-lo. Pinheiro, que é rico ignora os benefícios que os governos petistas fizeram ao país, tirando muitos da pobreza e fortalecendo empresas brasileiras e pagando toda a dívida externa, hoje encerrada. 

Pinheiro fala apenas em prol de sua elite de endinheirados. Deve odiar pessoas de chinelo nos aeroportos, negros recebendo diploma de nível superior e pessoas de boné entrando em shopping centers. Deve odiar gente outrora maltrapilha ganhando salário justo e morando em casas com o mínimo de estrutura digna de qualidade.

"O PARTIDO" VAI CONTRA O VERDADEIRO ESPIRITISMO

Pois quem escreve um livro medonho como O Partido, que pretende punir um grupo limitado enquanto um grande numero de bandidos políticos permanece solto e agindo em prol do interesse de uma elite hoje representada no "Espiritismo" brasileiro pelo charlatão Pinheiro. Um "Espiritismo" completamente oposto ao Espiritismo kardeciano, este em prol da felicidade coletiva e do fim do injusto sistema de sociedade de classes que pretende dar tudo para os ricos e nada para os pobres.

Charlatão, porque os absurdos de suas obras demonstram que ou a mediunidade dele é falsa, ou os espíritos comunicantes são falsos. O que não isenta a culpa do médium, que deveria checar primeiro a identidade do espírito, analisando o conteúdo da mensagem, antes de publicar. Aprovar farsa vindo do além túmulo é também charlatanismo pois coloca o médium como cúmplice de espíritos mal-intencionados como os macartistas que possivelmente ditaram o livro.

Uma doutrina que finge avançada e em prol do interesse coletivo não pode agir como elite, atacando um grupo limitado e beneficiando outro só porque age a favor dessa elite. Não estamos avançando e sim regredindo, direitos estão sendo cortados e corremos um sério risco de, se depender da elite defendida por Pinheiro, voltarmos aos tempos do Brasil colônia. Regeneração? Só se for a regeneração da Idade Média!

Quem quer realmente ser espírita, ignore O Partido, livro de calúnias "legitimado" por espíritos interessados em levar o Brasil para o buraco profundo do Capitalismo mais predador. De um cara que teceu elogios à enganadora Madre Teresa, não se pode esperar qualquer manifestação de altruísmo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

Ódio anti-petista de Robson Pinheiro pode ter orientação de espíritos de senhores de engenho e adeptos do Fascismo

O "Espiritismo" sempre foi conhecido como a religião da razão e do amor. Mas Robson Pinheiro que mudar isso. Para ele o "Espiritismo" passa a ser a doutrina da barbárie e do ódio. Incapaz de negociar com aqueles que não se afinam com suas convicções políticas elitistas, Pinheiro se une aos neo-pentecostais e derrama a sua gosmenta baba de raiva contra a esquerda, ignorando os verdadeiros responsáveis pela crise, que é mundial e desprezando os bastidores do poder.
Robson é um autêntico analfabeto político, pois dá sinais de que não sabe das complexas relações de poder, num perfeito exemplo de pedantismo político. E de acordo com a lei de afinidade (ignorada pelos "espíritas" brasileiros), atrai espíritos de senhores de engenho e de simpatizantes do Fascismo. Pinheiro psicografa um livro "político" demonstrando escancarado desconhecimento sobre o assunto. Ignora fatos que comprovam que a verdadeira quadrilha é justamente os políticos que ele apoi…