Pular para o conteúdo principal

O "Espiritismo" brasileiro vai ficar calado diante do avanço do Fundamentalismo Cristão? Certamente vai

O "espíritas" brasileiros são um bando de ingênuos, só pode ser! Um imenso e cruel fundamentalismo cristão prestes a se instalar no país, com meta de eliminar uma grande quantidade de direitos fundamentais e eles se preocupando em associar uma descoberta em outro planeta com o Único propósito de canonizar o seu querido aiatolá Come Ninguém, o tal do Chico Xavier como "dono máximo da humanidade terrena".

É risível ver que os brasileiros que pensam que são "espíritas" fiquem ocupados e preocupados com algo que não vai interferir em nosso cotidiano e que só serve para satisfazer as suas taras particulares por um velhinho inútil que nada contribuiu para a melhoria geral de toda a sociedade, glorificado apenas por causa de um estereótipo que não condiz com a realidade.

E sinceramente, o "Espiritismo" brasileiro se junta aos fundamentalistas cristãos na responsabilidade pelas consequências que haverão com a imitação drásticas de direitos humanos com o intuito de satisfazer uma divindade cuja existência nunca foi comprovada e nem tem condições de ser.

Ao invés de estimular a racionalidade que deveria ser peculiar à doutrina, o "Espiritismo" brasileiro preferiu levar adiante a fé cega, parasitando a ciência para que ela aprove as tolices que surgiram através da fé cega. Para os "espíritas" a ciência é apenas um cartório para legitimar a fé irracional.

E enquanto os tolos comemoram uma conquista científica como se fosse a canonização de um suposto líder religioso (e puramente religioso), os neo-pentecostais seguem silenciosamente fazendo seu vandalismo sacro, destruindo conquistas sociais e instalando no Brasil uma réplica modernosa do trevoso mundo medieval dos feudos e da teocracia política.

O "Espiritismo" brasileiro jogou na incineradora a oportunidade de educar a sociedade para a racionalidade séria, preferindo se ocupar com asneiras cada vez mais absurdas e do fanatismo cego por um caipira mineiro que correspondia a estereótipos superficiais que agradam as taras cristãs típicas de preguiçosos intelectuais em momentos de carência.

Os "espíritas" brasileiros responderão por esta violenta negligência e a cada dia provam ser uma seita irracional, tola, babaca e que prefere mendigar a aprovação de cientistas para as suas asneiras do que se esforçar por uma racionalidade séria, responsável quefaça o mundo andar para a frente e não ara trás como tem sido.

Cada vez mais sabemos que Chico Xavier foi o grande câncer que destrói ainda mais o Brasil. Os neo-pentecostais agradecem ao "bom velhinho" e aiatolá dos "espíritas", pelo favor prestado a eles.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

O juízo de valor que derrubou Divaldo Franco e Chico Xavier

"Não julgueis para não serdes julgados", dizia o ensinamento de Jesus. Pegando carona, o anti-médium mineiro Francisco Cândido Xavier criou um arremedo da mesma ideia: "Não julgueis quem quer que fosse". Mas desobedeceu o que ele mesmo disse.

Em 1966, o pior julgamento de valor que se pode dar contra multidões humildes foi dado por Chico Xavier. No livro Cartas e Crônicas, Xavier acusou de terem sido "romanos sanguinários" os pobres cidadãos que, de várias partes do Grande Rio, foram assistir alegremente um espetáculo circense em Niterói, em dezembro de 1961, e foram vítimas de um incêndio criminoso.
O agravante da infundada acusação - feita sem provas documentais, de maneira generalizada, sem estudo da Ciência Espírita e preocupada com suposta encarnação longínqua e superada - é que Chico Xavier, para se livrar de culpa, botou a responsabilidade no pretenso autor espiritual, Humberto de Campos, muito mal disfarçado pelo codinome Irmão X.
Só neste episód…