Pular para o conteúdo principal

Religião mais intelectual aonde, cara pálida?

O "Espiritismo" brasileiro distorceu toda a doutrina original, transformando-a em uma seita igrejista cheia de enxertos de outras crenças, sobretudo do Catolicismo medieval. Mas mesmo assim, para se promover, pegou do Espiritismo original o rótulo de ciência e o aparato de intelectualidade para fazer com que a versão deturpada ficasse bem na foto.

Mas a intelectualidade presente no "Espiritismo" brasileiro é pura fachada. Mesmo com diplomas e mais diplomas de nível superior e pós superior, não se vê posta em prática essa racionalidade presente no Espiritismo original. Os seguidores da tríade Bezerra-Chico-Divaldo não passam de burros metidos a inteligentes, Se não fossem burros, negariam com facilidade tudo que saia das mentes bem ocas dessa tal "Santíssima Trindade" de supostos líderes espirituais ou de seus "mentores" e discípulos.

Mesmo posando de intelectuais, ostentando seus títulos por onde passam, os seguidores do "Espiritismo" brasileiro não questionam as bobagens presentes em várias obras publicadas e em palestras em centros, estas que em nada diferem dos sermões de missas católicas.

Aceitam e até difundem os absurdos das deturpações, arrumando alguma forma forjada de "provar" a veracidade de certas tolices. Acreditam na superioridade de seus líderes tratados de forma divinal, mesmo sabendo que todos os espíritos da Terra são da mesma natureza, não havendo espíritos superiores habitando por estas plagas.

Agem todos como tolos, aposentando a suposta racionalidade que afirmam possuir em troca da fé cega que mantem viva as suas ilusões e a confiança irresponsável em lideranças fajutas, mas infelizmente prestigiadas, que recebem calorosos aplausos a cada asneira declarada.

Para mim, esses "intelectualizados" seguidores do "Espiritismo" brasileiro não passam de fiéis tão carneirinhos quanto os de outras crenças. Um bando de papalvos a usar o rótulo de "ciência" para legitimar as bobagens absurdas em que acreditam e compensar o estudo que sempre se recusam a fazer das obras kardecianas, preferindo acreditar que tudo que é espalhado em nome do "Espiritismo" brasileiro é real e correto. 

Todos esses equívocos seriam facilmente derrubados por um estudo sério, detalhado e dedicado da verdadeira Doutrina Espírita, ainda bastante desconhecida dos brasileiros. Um estudo solenemente recusado pelos "sábios" seguidores do "Espiritismo pirata praticado no Brasil. Esse bando de papalvos a que o mestre Herculano havia se referido. Papalvos com diplomas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo para os ricos, nada para os pobres!

A guinada direitista do "Espiritismo" brasileiro, supostamente "orientada" pela "espiritualidade superior" (na verdade espíritos de velhos e odiosos macartistas disfarçados de "sábios") tirou definitivamente a sua mascara de "doutrina avançada". 
Incapaz de melhorar o país em mais de 130 anos, se limitando a caridade paliativa que não elimina problemas, mas cria meios de suportá-lo, o "Espiritismo" brasileiro agora abraça um governo golpista e ideias retrógradas que pretendem reservar o bem estar a uns poucos que compartilham de ideais retrógrados e meios suspeitos de vencer na vida.
O "Espiritismo" brasileiro, totalmente distante e em muitos pontos contrário ao Espiritismo original fundado por Allan Kardec, sempre foi uma seita de elite com um número grande de seguidores de alto poder aquisitivo e graduados em faculdades. O que não significa que sejam mais inteligentes, pois o "Espiritismo" brasileiro ag…

Anti-esquerdismo "espírita" vai contra proposta da caridade

O "Espiritismo" brasileiro é cheio de contradições, graças a sua recusa em raciocinar e analisar tudo que chega aos seu redor. Abraçou a fé cega e a bondade estereotipada e se limita a fazer caridade paliativa, aquela que serve de mera compensação para que os necessitados se mantenham em suas condições humilhantes. 
Agora, os "espíritas" (de Chico Xavier) e os espíritas (de Allan Kardec) encanaram de aderir ao sádico ódio fascista anti-esquerda. Criminalizaram os movimentos sociais, a personalidades de esquerda e glorificaram o excludente Capitalismo, se baseando na tolice da meritocracia e descartando de uma vez por todas a acridade mencionada por Allan Kardec, um socialista, em suas obras.
Só o direitismo assumido pelo "Espiritismo" brasileiro jé envolve um festival de contradições que poderão implodir a doutrina no Brasil, que já é muito fraca em outros países. Ela entra em violento choque com a finalidade original da doutrina, que é a caridade, além …

O juízo de valor que derrubou Divaldo Franco e Chico Xavier

"Não julgueis para não serdes julgados", dizia o ensinamento de Jesus. Pegando carona, o anti-médium mineiro Francisco Cândido Xavier criou um arremedo da mesma ideia: "Não julgueis quem quer que fosse". Mas desobedeceu o que ele mesmo disse.

Em 1966, o pior julgamento de valor que se pode dar contra multidões humildes foi dado por Chico Xavier. No livro Cartas e Crônicas, Xavier acusou de terem sido "romanos sanguinários" os pobres cidadãos que, de várias partes do Grande Rio, foram assistir alegremente um espetáculo circense em Niterói, em dezembro de 1961, e foram vítimas de um incêndio criminoso.
O agravante da infundada acusação - feita sem provas documentais, de maneira generalizada, sem estudo da Ciência Espírita e preocupada com suposta encarnação longínqua e superada - é que Chico Xavier, para se livrar de culpa, botou a responsabilidade no pretenso autor espiritual, Humberto de Campos, muito mal disfarçado pelo codinome Irmão X.
Só neste episód…